Como programar em Python, sem saber Python!

Como programar em Python, sem saber Python!

Como programar em Python, sem saber Python!

Esse é o meu primeiro post aqui no I Love Code. Obrigado ao Paulo pelo espaço. Muito Obrigado.

Porque estou aqui falando de Python?. Porque o Google utiliza nos seus aplicativos? Existem diversas Startups que se utilizam de recursos do Python para criar seus sites mais rapidamente.

Mas gostaria de falar sobre os meus motivos que me levaram a aprender Python. Durante quase 15 anos utilizei outra tecnologia muito conhecida em empresas do ramo bancário, Mainframe junto com o Cobol.

É sou um dinossauro! E porque resolvi mudar de tecnologia?. Bom particularmente eu gosto de programar, de desenvolver, de ficar acordado até tarde “fuçando” no micro. E com tantas opções como Java, .NET, PHP. Porque escolhi Python?. Senta que lá veem “história”!.

Comecei em 1983 com meu primeiro computador pessoal o TK2000, tinha fita cassete para gravar os programas, fita cassete?. É isso mesmo, uma fita magnética que gravava informações com um gravador. Havia um programa de rádio que transmitia programas! Pois é sou dessa época! Eu digitava programas em BASIC que vinham na revista INPUT que meu pai comprava todas as semanas.

Bom, isso para dizer o quanto eu sinto prazer em programar. Mas quando você fica muito tempo trabalhando com alguma coisa, meio que você se acomoda! Fica na zona de conforto e não se atualiza. Foi o que aconteceu comigo. Queria fazer parte de algo, de participar mais do que está acontecendo do mundo. Então resolvi pesquisar no Google quais eram as linguagens mais utilizadas no momento. Em outubro de 2015, vi que o Python era um boa opção, todos diziam que era uma liguagem fácil de aprender.

Mas como uma pessoa que só programou em COBOL poderia aprender todo o ecosistema envolvido com Python?

Fui procurar comunidades, cursos online(grátis), videos no Youtube. Em dezembro de 2015 me cadastrei em um curso que seria ministrado pelo Rafael Henrique através do Hangout. Desde de então comecei a participar das aulas e perguntar, perguntar muito. Eu fazia algumas coisas em casa mesmo como instalação de Apache, criar sites. Não era totalemente leigo, já utilizava o Linux há uns 10 anos, como sistema operacional oficial no PC. Então eu tinha um certo conhecimento em alguns assuntos.

Primeira dica importantíssima foi criar uma conta no Github, para que as empresas pudessem enxergar o Ricardo e ver seus códigos. Tudo, tudo mesmo eu fui colocando no Github. Mesmo que os códigos não funcionavam. Mas isso pode te queimar? Não, na verdade não. É uma forma de você acompanhar sua evolução, pode chegar num ponto que você queira remover os repositorios iniciais, mas na minha opinião você não deve fazer isso!.

Segunda dica, codificar, codificar, praticar bastante!

Terceira dica, se envolva com as comunidades. Conecte-se com as pessoas, junte a turma e vá tomar cerveja, não necessariamente falar de programação. Envolva-se com projetos opensource, ajude, compartile seus conhecimentos. Participe de eventos, crie eventos online e presenciais.
Partipar de comunidades e a melhor maneira de crescer profissionalmente, você fica conhecido. Faça palestras, ajude alguem. Se quiser assistir minha palestra sobre minha trilha de aprendizado no youtube clique aqui. Com isso voce fica conhecendo muita gente, uma das pessoas que me ajudou bastante com suas ideias e sacadas do mundo opensource foi o Henrique Bastos. Posso também citar outras pessoas inspiradoras da comunidade Python como Bruno Rocha, Eric Hideki, Luciano Ramalho e o próprio criador do Python o Guido (Guido Vam Hossum) sim ele é totalmente acessível.

Quarta Dica. Ação! Tome ação!

Fiz diversas entrevistas e testes online, porque eu queria mudar de área e conseguir uma vaga de desenvolvedor Python. Eu estava desempregado desde setembro de 2016 e finalmente consegui um oportunidade para trabalhar na IBM como desenvolvedor Python, vou começar dia 16 de janeiro. Sim, isso mesmo, quebrei uma barreira enorme. Muitos disseram que eu não conseguiria, que não era possível mudar de área. Muita persistência e boa vontade, tem que ter boa vontade, e não força de vontade, porque força acaba!.

Então eu posso afirmar que é possível sim mudar de área, só depende de voce!

Espero que tenham gostado, deixem seus comentários, até o proximo post!

 

 

 

 

 

 

 

Previous Conheça Algumas rotinas que facilitam nosso desenvolvimento no MySql
Next Aprenda ser mais produtivo com Sublime e Visual Studio Code

About author

You might also like

Outros 2 Comments

Vídeo – Como começar a programar?

Share this on WhatsAppDicas de como começar a programar Atualmente muitas pessoas se aproximam de mim e me perguntam como faz para poder começar a programar? Bom essa é uma

Primeiras impressões do Visual Studio para o Mac

Share this on WhatsAppMicrosoft disponibiliza Visual Studio para o Mac Hoje a Microsoft anunciou uma nova versão da famosa IDE do Visual Studio para o macOs. Finalmente a empresa vai

Visual Studio 0 Comments

Conheça os operadores implicit e explicit do C#

Share this on WhatsAppE ai pessoal beleza? Sei que ando sumido ultimamente, mas é devido eu estar gravando vídeo aulas para colocar no site Udemy. Resolvi colocar algum conteúdo pago na Udemy

1 Comment

Leave a Reply